Notícias

post

Google lança versão em PT-BR de app grátis que ensina programação

O Google anunciou, nesta terça-feira (15), que lançou no Brasil uma versão em português do Grasshopper, um app que ensina programação para iniciantes. O software já está disponível gratuitamente em versões para celulares Android e PC.
O programa, que foi criado por uma equipe da gigante de tecnologia chamada “Area 120”, utiliza jogos e lições interativas de JavaScript. De acordo com a companhia, o lançamento para o Brasil tem como objetivo “remover as barreiras que limitam o acesso à educação e preparar adultos e jovens para carreiras que utilizam a programação”.
Como funciona o Grasshopper
O app oferece uma plataforma voltada para pessoas que estão começando ou querem começar no mundo da programação. Para auxiliar na didática, é utilizada uma metodologia interativa com quebra-cabeças visuais, que estimulam os alunos a utilizar conceitos da codificação como funções, loops e variáveis.
O aplicativo já foi utilizado por pelo menos 1 hora por mais de 1 milhão de pessoas desde que foi lançado em 2018. O Google lembrou, ainda, que o Grasshopper tem ajudado na inclusão de mulheres no setor de tecnologia. Inclusive, o nome da ferramenta foi dado em homenagem a Grace Hopper, uma das pioneiras na programação de computadores.
Fonte: Tecmundo

post

‘Nativos digitais’ não sabem buscar conhecimento na internet, diz OCDE

A familiaridade dos adolescentes atuais com a tecnologia, que faz deles nativos digitais, não os torna automaticamente habilitados para compreender, distinguir e usar de modo eficiente o conhecimento disponível na internet.

Pelo contrário, os dados sugerem que eles são, em grande parte, incapazes de compreender nuances e ambiguidades em textos online, localizar materiais confiáveis em buscas de internet ou em conteúdo de e-mails e redes sociais, avaliar a credibilidade de fontes de informação ou mesmo distinguir fatos de opiniões.

As conclusões foram apresentadas pela OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico) em seminário virtual na última quarta-feira (26/05), com base no relatório Leitores do Século 21 – Desenvolvendo Habilidades de Alfabetização em um Mundo Digital.

O relatório, divulgado no início do mês, mostra as habilidades de interpretação de texto dos alunos de 15 anos avaliados no Pisa, exame internacional aplicado pela OCDE em 2018 em estudantes de 79 países ou territórios, inclusive no Brasil.

Os dados são preocupantes: no Brasil, apenas um terço (33%) dos estudantes foi capaz de distinguir fatos de opiniões em uma das perguntas aplicadas no Pisa.

Fonte: BBC News

 

post

O que é o chatbot e como ele pode ajudar a sua empresa a crescer?

A sociedade tem evoluído muito mais rápido do que em qualquer outro momento da história, graças aos avanços tecnológicos e à popularização do acesso à internet.

Isso tem influenciado diretamente na forma como as pessoas compram e em suas relações com as marcas que consomem. Estamos nos referindo às tecnologias de atendimento, como o famoso e tão falado chatbot.

Portanto, neste conteúdo, mostraremos o que são os chatbots para atendimento, como eles podem ser aplicados nas empresas e suas principais vantagens. Acompanhe a leitura deste artigo para saber mais sobre o assunto!

O que são chabots para atendimento?

Chatbot é um sistema de atendimento que interage com os usuários por meio de algoritmos de conversação. Seu nome faz referência à junção dos termos chat (conversa) + bot (robô), por isso também é conhecido como robô de atendimento.

A interação acontece por meio de textos e destaca-se pela utilização de uma linguagem simples e de fácil entendimento que facilita a comunicação entre os usuários com as marcas que consomem.

Como funcionam?

Os chatbots para atendimento são baseados em inteligência artificial, sendo capazes de conversar com seres humanos por meio de aplicativos de troca de mensagens, como o Messenger do Facebook, o WhatsApp, o Telegram, entre outros.

Para se ter uma ideia do quão evoluída essa tecnologia já está, existem alguns chatbots que conseguem reconhecer gírias e sotaques (no caso de sistemas de conversação por voz), possibilitando a fluidez e a personalização do atendimento.

Além disso, são capazes de interpretar o que os usuários descrevem e, por meio dos algoritmos (cruzando dados e tempo), podem até mesmo prever as necessidades e antecipar soluções.

Onde um chatbot se aplica?

Esses sistemas já fazem parte de uma realidade e têm garantido cada vez mais espaço nas empresas modernas, criando oportunidades de negócios tanto para organizações quanto para consumidores.

Entre as áreas em que os chatbots de atendimento têm sido implementados, podemos citar:

  • atendimento ao cliente;
  • captação e retenção de consumidores;
  • setor de suporte ao cliente;
  • setor de reclamações;
  • aquisições de produtos (vendas).

Entre muitos outros.

Lembrando que, em alguns casos, ao detectarem que o usuário necessita de um atendimento mais avançado, os chatbots encaminham o cliente para que seja atendido por um funcionário.

Quais são as vantagens desse tipo de atendimento para o negócio?

Aderir ao uso de chatbots proporciona diversas vantagens para o atendimento das empresas. A seguir, mostraremos as principais:

  • interagem com o consumidor sem utilizar uma linguagem repetitiva;
  • funcionam durante 24 horas por dia e a qualquer dia da semana, mantendo o setor de atendimento ativo em tempo integral;
  • reduzem custos com funcionários;
  • conseguem fazer a retenção de clientes insatisfeitos, pois identificam necessidades e conseguem oferecer soluções com agilidade;
  • são capazes de realizar vendas com precisão, já que analisam o histórico do cliente e identificam seu perfil de consumo, oferecendo produtos e serviços adequados.

Como as empresas têm se beneficiado do uso de chatbots para atendimento?

Antes de concluirmos, confira alguns exemplos de grandes organizações que têm utilizado os chatbots de maneira bem-sucedida.

Ebay

Com a finalidade de ajudar seus clientes a encontrar os melhores produtos, o Ebay desenvolveu o ShopBot. Trata-se de uma plataforma do Messenger do Facebook que permite que as pessoas realizem buscas rápidas sobre o inventário de itens da empresa.

Além disso, ele aprende com as escolhas feitas pelo usuário, enriquecendo cada vez mais seu banco de dados para que possa oferecer produtos baseados no perfil de consumo e aumentar as vendas.

Pizza Hut

A Pizza Hut utiliza um chatbot que permite ao usuário fazer pedidos via mensagem diretamente do Messenger ou do Twitter. Além disso, ele também acessa o histórico de pedidos para oferecer promoções personalizadas.

Como você pôde conferir neste artigo, os chatbots para atendimento são ferramentas modernas que têm gerado uma infinidade de soluções para as empresas. Utilizá-los em seu setor de relacionamento com o cliente pode trazer melhores resultados para a organização.

Via: http://blog.vortice.inf.br/o-que-e-o-chatbot-e-como-ele-pode-ajudar-a-sua-empresa-a-crescer/

post

Profissionais criativos se destacam em empresas. Saiba como ser um!

A criatividade proporciona inúmeros benefícios para as organizações. Cobiçados pelo mercado, profissionais com esse talento são capazes de produzir ideias, fazer algo novo ou original, propor soluções novas a problemas antigos ou soluções inéditas a problemas novos.
E, ao contrário do que se imagina, a criatividade não é inata. “Ela pode ser aprendida e desenvolvida, sendo sempre suscetível de melhora”, explica Fernando Montero da Costa, Diretor de Operações da Human Brasil, especializada na seleção e recrutamento de talentos, formação, desenvolvimento e consultoria estratégica de pessoas nas organizações.

Na prática, segundo o especialista, conhecimento não é o mesmo que criatividade. “A imaginação transcende o conhecimento. Portanto, se você quiser ser criativo, primeiro esqueça o que sabe”, completa.

Fernando Montero afirma que algumas barreiras são encontradas na prática e exercício desta competência, como a incapacidade de mudar as respostas de sempre, do tipo “em time que está ganhando não se mexe”, e bloqueios sociais, culturais ou emocionais, como, por exemplo, medo, dúvidas ou insegurança.

O consultor de RH lista algumas dicas para a aplicação dos princípios de criatividade:

1) Decida ser criativo
2) Busque sempre mais de uma solução (ou várias alternativas)
3) Escreva todas as suas ideias e as analise minuciosamente
4) Defina teus objetivos
5) Utilize o pensamento divergente e haja com flexibilidade
6) Considere o problema dos outros como oportunidades e desafios
7) Aprenda a assumir riscos e atreva-se a ser diferente
8) Desafie normas e suposições. Procure ser menos racional.
9) Utilize o humor
10) Tome o tempo que seja necessário para cumprir suas tarefas. Fazer as coisas com calma (quando se pode) aumenta a produtividade e a eficácia
11) Seja persistente
12) Viva o presente
13) Desfrute de momentos de lazer. A qualidade de vida depende de como se emprega o tempo livre.

“O comportamento criativo das pessoas é algo perceptível, pois estas se destacam dos demais membros da organização pela grande variedade de ideias e soluções originais que propõem. E também porque ignoram a forma convencional de pensar”, afirma Fernando Montero.

Via: http://www.administradores.com.br

 

post

Empresários do PISO terão plantão para orientação sobre propriedade intelectual

O PISO acaba de finalizar seu processo de registro de marca com custo zero de honorários. Como está sediada no Supera Parque de Inovação e Tecnologia de Ribeirão Preto, a entidade conta com alguns dos benefícios oferecidos às empresas pertencentes ao complexo – que se estendem às associadas –  e um deles é o Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT), que atua como consultor técnico em projetos de P&D nas áreas de propriedade intelectual, desenvolvimento tecnológico e transferência de tecnologia.

Para as empresas, essa economia é considerável no orçamento. A Hadrion, associada ao Polo, por exemplo, também passou pelo processo de inclusão de três marcas de software no Instituto Nacional de Propriedade Intelectual – INPI por meio do NIT e, segundo o sócio-proprietário, Eduardo Tângari, os trâmites via Supera eximiram a empresa de um custo de R$ 5 mil. “Além da economia e do atendimento excelente, o NIT possui o diferencial de estar dentro do Parque Tecnológico e respirar tecnologia, adiantando e otimizando todo o processo”, afirma.

Para as associadas saberem mais sobre o benefício, PISO e NIT do Supera Parque estarão de plantão no próximo dia 21 de novembro para atendimento personalizado e individual. Os empresários interessados poderão receber orientações do Agente de Propriedade Intelectual Eduardo Vianna. “A ideia deste encontro é norteá-los sobre os trâmites e mostrar a importância da proteção de bens intangíveis”, enfatiza.

Para participar, é necessário se inscrever e agendar horário: goo.gl/t918xBcontent_copy

 

 

post

PISO e associadas plantarão 300 mudas de árvores no Parque Tecnológico

Em uma ação de respeito à natureza e preservação ao meio-ambiente, o PISO inicia em novembro um projeto de plantio de cerca de 300 mudas de árvores nativas da Mata Atlântica em uma área do Parque Tecnológico que será destinada para a construção de refeitórios e restaurantes para empresários e colaboradores do complexo.

As árvores ajudarão a tornar o ambiente mais fresco e comporão o projeto de paisagismo deste novo local, que contará com área verde também para garantir sombra nos bancos destinados ao descanso dos profissionais. As empresas associadas que estão engajadas na ação são Consinco, Tecnosoftware, TTI, CSoftware, Smarapd, Vórtice e Socin.

“Em um momento em que o planeta precisa mais do que nunca de nosso empenho, este projeto é apenas o pontapé inicial de outros que estão por vir. Estamos plantando a semente para colher frutos de conscientização ambiental e social”, afirma Andresa Cantolini, diretora Executiva do PISO.

O plantio, que terá o auxílio da empresa Global Tree, acontece no próximo dia 24 de novembro e voluntários – familiares e amigos dos colaboradores das associadas – serão bem-vindos.

SERVIÇO

Plantio de Mudas no Parque Tecnológico

Dia 24/11 a partir das 8h30

Av. Dra. Nadir Águiar, 1805 – Jardim Dr. Paulo Gomes Romeo, Ribeirão Preto

 

 

post

Canvas como estratégia de planejamento e gestão

Hoje vamos falar sobre o Business Model Canvas, mais conhecido como Canvas. Essa é uma ferramenta de planejamento estratégico, que permite desenvolver e esboçar modelos de negócio novos ou já existentes.

O CANVAS possibilita uma análise sobre o negócio da organização, de forma sistêmica, que vai muito além dos produtos e serviços que ela oferece. O negócio envolve também a forma como os produtos e serviços são entregues, a sua proposta de valor, as parcerias firmadas para garantir o seu posicionamento estratégico, a forma como a organização obtém receitas e gerencia os seus recursos, etc.

Na prática o Canvas é um mapa visual pré-formatado contendo nove blocos. São eles:

  1. Proposta de valor:o que sua empresa vai oferecer para o mercado que realmente terá valor para os clientes;
  2. Segmento de clientes:qual o público alvo ou segmento que a empresa deseja atender por meio de seus produtos e serviços.
  3. Os canais:meio pelo qual o cliente compra e recebe seu produto e serviço (loja física, e-commerce, venda direta, telefone);
  4. Relacionamento com clientes: como a sua empresa interage com os clientes, de acordo com as suas características e segmentação de mercado.
  5. Atividade-chave:quais são as atividades principais que tornam possível a entrega da Proposta de Valor;
  6. Recursos principais:são os recursos necessários para realizar as atividades-chave;
  7. Parcerias principais:alianças que a organização estabelece com terceiros a fim de garantir recursos estratégicos, reduzir custos e riscos e focar no seu principal negócio.
  8. Fontes de receita:são as formas de obter receita por meio de propostas de valor.
  9. Estrutura de custos:São os custos relevantes necessários para que a estrutura proposta possa funcionar.

A proposta do Canvas é ter uma visão ampla do negócio e do modelo de negócio, para, então, compreender melhor a organização.

Como montar o CANVAS na prática:

Existem algumas perguntas, sugeridas por Osterwalder, que podem nos ajudar na compreensão e no preenchimento do modelo de negócio, como:

  1. Proposta de valor: Que necessidades dos clientes estamos atendendo? Quais são os problemas que nossa empresa consegue resolver? Que valor será entregue a eles?
  2. Segmento de clientes: Quem é nosso público alvo? Quais os clientes mais importantes?
  3. Os canais: Como alcançamos nossos clientes? Qual canal funciona melhor de acordo com nossos objetivos?
  4. Relacionamento com clientes: Como nos relacionamos com os clientes e como pretendemos nos relacionar com clientes futuros?
  5. Atividade-chave: Quais são as atividades-chave exigidas pela proposta de valor?
  6. Recursos principais: Quais são os principais recursos exigidos pela proposta de valor?
  7. Parcerias principais: Quais são nossos principais parceiros? Quais atividades eles exercem? Quem são os principais fornecedores?
  8. Fontes de receita: Quanto os clientes estão dispostos a pagar? Pelo que? Como gostariam de pagar?
  9. Estrutura de custos: Quais são nossos principais custos? O que é mais caro? O que é mais barato?

canvas

Caso necessite de mais algum auxílio, o SEBRAE oferece uma ferramenta para montar o CANVAS no seguinte site: http://www.sebraecanvas.com

Via: http://www.bloggestaodaqualidade.com.br/

Parceiros

logo one
logo two
logo three
logo four
logo five
logo six
logo seven
logo eight
PISO - Polo Industrial de Software | Powered By WordPress
Av. Dra. Nadir Aguiar, 1802, Prédio 2 (térreo) | Ribeirão Preto-SP

Exibir Mapa Grande  |  Obter Trajeto  |  Exibir Vista Panorâmica
×