post

Conheça algumas das líderes que se destacam por trás dos computadores e que ajudaram a transformar a região de Ribeirão Preto em um importante polo da Tecnologia da Informação

Andresa Cantolini, CEO do PISO: "Em uma softwarehouse, tanto mulheres quanto homens podem se destacar igualmente"

Andresa Cantolini, CEO do PISO: “Em uma softwarehouse, tanto mulheres quanto homens podem se destacar igualmente”

Elas trabalham e lideram em um universo ultra masculino. Estamos falando das mulheres profissionais da área de Tecnologia da Informação, um setor em que, no Brasil, 83% do quadro técnico é formado por homens.

Em Ribeirão Preto, levantamento do PISO atesta esses números, mostrando que a presença de mulheres de TI nas organizações associadas é realmente pequena. Indo mais além, a entidade aponta que o percentual de mulheres que se inscrevem nos cursos oferecidos pelo PISO de capacitação – que garantem vagas no mercado de trabalho – comumente, é de 15 a 20%.

No entanto, quem lidera a associação que hoje reúne 38 associadas é uma mulher. Andresa Cantolini, diretora executiva, afirma que esses números tão divergentes acontecem devido a questões culturais: mais homens que mulheres costumam buscar carreiras de Exatas – mas que o gênero do profissional, de forma alguma, interfere na decisão por sua contratação.

“Poucas mulheres despertam para essa área. Em todas as universidades e Centros de Formação em que faço palestras, a presença esmagadora é de homens, no entanto, não deveríamos tratar nenhuma profissão como sendo puramente masculina. Em uma softwarehouse, tanto mulheres quanto homens podem se destacar igualmente, assim como em qualquer outra profissão”, garante.

Andresa optou por essa área há 12 anos e sente-se apaixonada pelo que faz. “Trata-se de um mercado de grandes oportunidades e possibilidades. Trabalho com empresários conscientes no que envolvem formação, ética e desenvolvimento de pessoas, me trazendo um sentimento de dever cumprido em todos os projetos realizados”, complementa.

 As mulheres da TI

 Sócia da líder nacional  em seu segmento – Paulíria Pimenta Queiroz é gerente de Produto e sócia da

Sócia da Consinco, Pauliria lidera uma equipe formada por 90% de homens

Sócia da Consinco, Pauliria lidera uma equipe formada 90% por homens

Consinco SA, desenvolvedora de software para varejo com mais de 300 colaboradores. Formada em Análises de Sistemas com pós em Gestão Empresarial, ela conta que sempre se identificou mais com a área de Exatas e viu na “profissão do futuro” sua oportunidade de trilhar uma carreira de sucesso.

Ela conta que nem tudo foram flores. Na faculdade onde fez o curso, havia somente dois computadores para todos os estudantes e, por isso, as aulas abrangiam mais a parte teórica. “Para poder executar a prática, comecei a trabalhar na área já no primeiro ano da faculdade o que foi muito bom pois conseguia assimilar e aplicar melhor os conhecimentos. Morava e trabalhava em São Sebastião do Paraíso, MG, e fazia a faculdade em Franca, SP, então ia e voltava todos os dias de ônibus. Era bem puxado, mas valeu a pena”, garante.

Desde que ingressou na área, Paulíria percebeu a predominância masculina. Hoje, lidera uma equipe formada 90% por homens e, segundo ela, a relação entre todos é natural e transparente. “Sou muito respeitada e tenho muito respeito e admiração por todos. Procuro aplicar o que aprendi até hoje em relação à liderança e gestão e temos obtido sempre bons resultados”, completa.

Para Paula, é gratificante ser líder em um universo predominantemente masculino

Para Paula, é gratificante ser líder em um universo predominantemente masculino

 Exemplo de destaque – Paula Issa Barbosa é Coordenadora de Produto da Consinco SA. Formada em Ciências da Computação, nunca parou de estudar: fez MBA em Gestão Empresarial com ênfase em TI, pós-graduação em Gerenciamento de Projetos e agora está fazendo Gestão Estratégica de Pessoas. Escolheu a área de TI por gostar de Exatas. “Desde pequena adorava resolver problemas e quebra-cabeças”, brinca.

Com 12 anos de experiência na área, Paula hoje é líder de seu setor, coordenando uma equipe de desenvolvimento. “Gosto de participar da formação dela, de me envolver com a criação de soluções em sistemas para resolver problemas operacionais dos clientes e de direcionar minha equipe para se empenhar ao máximo com nossas entregas”, conta.

Para ela, a predominância masculina em sua área de atuação nunca foi um problema. “Desde a faculdade, noto que a maioria dos profissionais de TI é masculina e já me acostumei com isso. Na minha equipe não é diferente, refletindo bem essa realidade: de 22 pessoas, somos em apenas quatro mulheres. Mas, para mim, é gratificante ser uma líder neste universo predominantemente masculino, pois posso ser exemplo para outras mulheres de que, com trabalho sério, preparação e dedicação, é possível nos destacarmos nas empresas de TI”, enfatiza.

Fazendo-se ser ouvida - Jornalista por formação, Célia Felipe apaixonou-se pela área de TI, seguindo há 17 anos

Jornalista, Célia apaixonou-se por TI e já está há 17 anos na área

Jornalista, Célia apaixonou-se por TI e já está há 17 anos na área

nesse universo. Gerente Comercial da Vórtice, que atua na gestão de processos de negócios de seus clientes, iniciou na área de Marketing em outra empresa e acabou por se envolver com sistemas para tratar da gestão de relacionamento com clientes – e ali iniciou sua história na carreira que se encontra até hoje.

Desde seu ingresso na área tecnológica, lida todos os dias com uma equipe formada por homens em sua maioria, embora, segundo ela, essa predominância pouco interfira. “A presença feminina de fato é bem pequena desde a formação acadêmica. Começando pelas áreas técnicas assim como as áreas de negócios, incluindo a área comercial, temos que nos fazer presente e ser ouvidas e valorizadas como qualquer outro profissional”, afirma.

Ser detalhista para se destacar - Sandra Ferreira é gerente de desenvolvimento e

Sandra: mulheres estão mudando a estatística da área

Sandra: mulheres estão mudando a estatística do setor

responsável pela unidade da Senior Ribeirão Preto, líder em softwares e serviços para o setor financeiro. Formada em Contabilidade, na época que iniciou sua atividade profissional, Informática era a profissão do futuro, com grandes oportunidades no mercado e, por isso, ela acabou se aproximando da área. Desde seu primeiro emprego, percebeu que era isso que queria para sua carreira. “Sou detalhista e exigente comigo e com as pessoas que estão ao meu redor e nesta profissão, precisamos de ter um pouco deste perfil”, atesta.

Líder de uma equipe formada em sua maioria por homens, Sandra garante se sentir muito respeitada por todos. “Apesar das mulheres serem a minoria, percebo que estamos mudando esta estatística. No início da minha vida profissional, era mais raro encontrar mulheres nesta área, mas agora está ficando mais comum. Bom para nós que conseguimos mostrar que podemos nos sair bem numa profissão que exige lógica, raciocínio e concentração”.

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>